Light

Relações com Investidores

Pontos Fortes e Estratégia

Pontos Fortes

A Companhia acredita que seu posicionamento no setor pode ser refletido nos seguintes pontos fortes:

Companhia integrada com atuação em área de concessão concentrada e desenvolvida

O Grupo Light é constituído pelas empresas Light S.A. (holding); Light Serviços de Eletricidade S.A. (Light SESA), de distribuição de energia; Light Energia S.A. (Light Energia), de geração de energia, Lightger S.A. (Lightger), responsável pelo empreendimento PCH Paracambi; Itaocara Energia Ltda. (Itaocara); Amazônia Energia Participações S.A. (Amazônia), para participação no projeto da UHE Belo Monte; Light Esco Prestação de Serviços S.A. (Light Esco) e Lightcom Comercializadora de Energia S.A. (Lightcom), ambas em comercialização; Light Soluções em Eletricidade Ltda. (Light Soluções); Energia Olimpica S.A. (Olímpica); Axxiom Soluções Tecnológicas S.A. (Axxiom), de serviços em tecnologia de informação; Instituto Light, institucional.


 A área de concessão de distribuição da Light SESA está presente em 31 municípios do Estado do Rio de Janeiro, com abrangência de 10.970 Km² e uma população de mais de 11 milhões de pessoas, e mais de 4 milhões de clientes. O Estado do Rio de Janeiro representa o 2º maior PIB do Brasil segundo dados mais recentes do IBGE, referentes ao ano de 2012. Em 2014, a Light SESA atendeu, aproximadamente, 4,2 milhões de consumidores, tendo o consumo no Mercado Cativo da Companhia totalizado 21.500 GWh.

Excelência na prestação de serviços

A Companhia presta serviços de reconhecida excelência a seus clientes e investe constantemente na melhora da qualidade de seus serviços, através da aplicação de recursos em novos e modernos equipamentos, além do uso de tecnologias de ponta no atendimento ao consumidor e manutenção de um programa de treinamento de seu pessoal.


No ano de 2014, o segmento de distribuição concentrou o maior volume de investimentos, com R$ 932,1 milhões, um crescimento de 30,8% frente ao valor investido em 2013. Dentre os investimentos realizados, se destacam os direcionados ao desenvolvimento de redes de distribuição (novas ligações, aumento de capacidade e manutenção corretiva), com o intuito de atender ao crescimento de mercado e aumentar a robustez da rede, no valor de R$ 337,8 milhões. Além destes, merecem destaque os investimentos realizados na melhoria da qualidade e manutenção preventiva da rede, com o objetivo de evitar desligamentos e acidentes com a população, no valor de R$ 211,1 milhões e projeto de perdas de energia (blindagem de rede, sistema de medição eletrônica e regularização de fraudes) no montante de R$ 359,7 milhões. Os investimentos na rede subterrânea estão incluídos nos investimentos da rede de distribuição e da melhoria da qualidade.


A média móvel de 2014, referente ao DEC – Duração Equivalente de Interrupção, que é expresso em horas, atingiu o valor de 12,25, uma redução de 33,42% em relação ao mesmo período do ano anterior. A média móvel referente ao FEC – Frequência Equivalente de Interrupção, expressa em vezes, relativa ao mesmo período, foi de 6,56 ,  21,06% abaixo do mesmo período do ano anterior.


Em todos os indicadores referentes ao quarto trimestre de 2014, observa-se um melhor desempenho da rede como resultado da reorganização de processos na diretoria de distribuição e das iniciativas implementadas pelo plano de ação iniciado em junho de 2013. O incremento de podas e serviços de manutenção preventiva na rede elétrica vem apresentando impactos positivos nos resultados, permitindo um melhor desempenho da Companhia no que se refere aos indicadores DEC e FEC.  

Base de clientes sem concentração industrial

A Companhia possui uma base de clientes concentrada nos segmentos residencial e comercial, diversificada, dependendo, em menor escala, do desempenho do segmento industrial. No ano de 2014, 33,8% da eletricidade faturada em sua rede de distribuição destinou-se a atender a demanda de clientes residenciais, 31,4% de clientes comerciais, 20,0% de clientes industriais e 14,8% as demais classes, totalizando no ano, um consumo de energia de 26.493 GWh. 

A Companhia acredita que sua carteira diversificada de clientes, aliada às características da renda per capita da região metropolitana do Rio de Janeiro, reduz os riscos de diminuição do consumo em sua área de concessão, dado que o mercado residencial tende a ser menos sensível às oscilações da economia quando comparado ao mercado industrial, que reage mais rapidamente a reduções no ritmo de desenvolvimento e crescimento econômico.

 

Posição de liderança no relacionamento institucional e regulatório

A Companhia desenvolveu um novo modelo interno de relacionamento com os órgãos regulatórios e outras instituições, de forma a apresentar uma visão integrada da concessionária e do setor elétrico brasileiro. No âmbito regulatório existe uma Superintendência Regulatória ligada diretamente à Presidência, que busca um melhor entendimento pelo regulador das especificidades da área de concessão da Companhia, se traduzindo em um tratamento mais adequado nos processos de reajuste e revisão tarifária.

No relacionamento institucional, destaca-se a atuação da Light SESA junto a prefeituras, governo do Estado, Associação Comercial do Rio de Janeiro, dentre outras instituições, que permitiram a negociação de dívidas passadas de alguns desses órgãos com a Companhia, assim como a elaboração de parcerias com o objetivo de desenvolver sua área de concessão.

O relacionamento e a conduta da Light com órgãos reguladores são baseados na transparência e no pleno cumprimento de suas atribuições como companhia do setor elétrico. Sua relação com a Agência Nacional de Energia Elétrica vai além de respeitar os marcos regulatórios, os gestores da área acompanham os processos decisórios, participam, promovem estudos e debates em iniciativas que visam ao fortalecimento do setor e a otimização de seus resultados para a sociedade e o País.

 

 Estratégia

O principal objetivo da Companhia é gerar valor para os seus acionistas, por meio do constante crescimento nos mercados de distribuição, geração e comercialização de energia elétrica no Brasil. Para alcançar tal objetivo, a Companhia tem baseado a sua gestão na procura da eficiência operacional, com foco em aumento de receita combinado à redução das perdas e da inadimplência, na revisão de seus processos em busca de uma redução sustentável de seus custos gerenciáveis, na realização de investimentos prudentes na distribuição e crescimento do segmento de geração, através de novos investimentos.

Priorizar o plano de combate às perdas de energia

A área de concessão da Companhia enfrenta historicamente um elevado nível de perdas. O combate às perdas é prioridade na Companhia. O programa está estruturado em diferentes campos de atuação que incluem um completo programa de combate às perdas, apoiado em tecnologias de última geração, a articulação institucional junto a outras instituições interessadas na redução da informalidade e ao governo por meio da participação em programas de urbanização de favelas e a conscientização da população acerca do conceito da ilegalidade e criminalidade da ação de furto de energia. 
Para potencializar a redução das perdas não-técnicas, a Light vem investindo continuadamente em ações que vão desde os processos convencionais de inspeção de fraude, passando pela modernização da rede e dos sistemas de medição até o projeto APZ (Área de perda zero). Dentre estas ações, destacam-se:

•    Áreas de Perda Zero: Em agosto de 2012, foi criado o Projeto APZ, baseado na conjugação de medidores eletrônicos e rede blindada com equipes dedicadas de técnicos e agentes de relacionamento comercial que têm metas e remuneração atreladas à melhoria dos indicadores de perdas e inadimplência da sua respectiva área. Uma APZ tem em média, 17 mil clientes. O projeto, que é conhecido comercialmente como "Light Legal" e conta com o apoio do SEBRAE para capacitação dos microempresários parceiros, encontra-se com 37 APZs em operação, abrangendo 624 mil clientes na Baixada Fluminense, Zona Sul, Zona Oeste e Zona Norte. 

•    Em maio de 2014, a Companhia anunciou que a Landis+Gyr Equipamentos de Medição Ltda (“Landis+Gyr”) foi o fornecedor escolhido para prover os equipamentos e serviços para automação de redes áreas e subterrâneas por um Sistema Integrado, utilizando Redes e Dispositivos Inteligentes na Distribuição (“Projeto Smart Grid”). Após a fase de detalhamento (“work statement”), o contrato foi assinado em setembro de 2014 e contempla o fornecimento de aproximadamente 1 milhão de medidores pelos próximos 5 anos, pelo valor total de R$ 750 milhões. Atualmente a Light e a Landis+Gyr estão realizando a adequação do ambiente de tecnologia da informação para receber esta nova solução de comunicação.

•    Em 2014, as perdas não-técnicas totalizaram 5.927 GWh, representando 40,9% sobre a energia faturada no mercado de baixa tensão (metodologia de cálculo Aneel). Em comparação com o período de 12 meses findos em dezembro de 2013, houve redução de 1,3 p.p, quando as perdas não-técnicas totalizaram 42,2% sobre o mercado de baixa tensão. As perdas totais da Light SESA somaram 8.847 GWh, ou 23,3% sobre a carga fio, no período de doze meses encerrado em dezembro de 2014. 

 

 

Ampliar a participação do segmento de geração de energia nas atividades da Companhia

A Companhia tem como um dos pilares do seu Planejamento Estratégico o aumento da participação do segmento de geração de energia nos seus resultados. De modo a cumprir tal objetivo, foram anunciados diversos projetos de geração assegurando o crescimento de sua capacidade instalada, que atualmente é de 971 MW. 

 

Atuar ativamente no segmento de comercialização de energia

No segmento de comercialização, a Companhia atualmente realiza um trabalho de fidelização de clientes no Mercado Cativo de distribuição, mediante a prestação de serviços de eficiência energética que reduzem o custo desses clientes com energia. A Companhia também atua na venda de energia a clientes que estão no Mercado Livre e na venda de energia proveniente dos novos projetos de geração, em especial das PCHs Paracambi e Lajes.

Dado que estas atividades apresentam um baixo custo fixo para a Companhia e oferecem oportunidades de ganhos com as margens de comercialização, a Companhia pretende continuar ampliando a sua atuação no segmento de comercialização de energia e prestação de serviços com o objetivo de diversificar suas fontes de receita e promover a maior integração com a sua atividade de geração. Em 2014, a comercialização de energia somou o montante de 5.338,4  GWh, 28,5% acima dos 4.154,7 GWh comercializados em 2013.

 

Compromisso com a governança corporativa e a sustentabilidade

A Light é listada no mais alto nível de governança corporativa da BM&FBovespa, o Novo Mercado, com a adoção de regras societárias que melhor equilibram os direitos de todos os acionistas, como por exemplo, a concessão de 100% de direito de tag along às ações de sua emissão. Além disso, a Companhia faz parte da carteira ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial) desde em 2007, participando por oito anos consecutivos do índice.

Política de distribuição de dividendos

A Light possui uma política de distribuição de pelo menos 50% do lucro líquido anual na forma de proventos. Apesar disso, a Companhia vem adotando a prática de distribuição acima de seu mínimo obrigatório desde 2007.

No dia 17 de dezembro de 2014 foram pagos os dividendos aprovados pela Assembleia Geral Ordinária, realizada no dia 24 de abril de 2014, no montante de R$ 364.838.033,34, sendo R$ 32.018.793, referentes ao dividendo mínimo obrigatório, e R$ 332.819.239,81, referentes aos resultados apurados no exercício de 2013, correspondendo a um dividend yield de 11,3% e a um payout de 84,6% do lucro líquido de 2013 ajustado pela reserva legal. O valor líquido por ação corresponde a R$ 1,789, sem retenção de imposto de renda na fonte (conforme art. 10 da Lei nº 9.249/95).

 

Última atualização em